Como me livrar das dívidas?

Como me livrar das dívidas? Como acabar com as dívidas? Vamos conversar sobre a perspectiva holística e energética das dívidas hoje!

Para que você entenda o que vou compartilhar com você nesse artigo, eu preciso que você conheça um pouco mais sobre os nossos mecanismos inconscientes. Veja aqui:

Então, sabendo como nossas crenças estão criando a realidade como a gente percebe, podemos identificar algumas raízes para criar ou manter dívidas na nossa vida:

  • Criação dos buracos de abundância: O que são buracos de abundância? São dívidas que a gente cria como buracos na nossa vida, com o objetivo de provar (pra gente mesmo ou pros outros) que nós somos capazes de sair daquele buraco. Nós mesmos cavamos e nós mesmos nos colocamos nessa situação (geralmente de maneira inconsciente) para sentir o alívio e a glória de conseguir se desvencilhar desse problema.
  • Lealdade, pactos, acordos ou honra a alguém (ou um grupo) que tem menos que você: Um outro bloqueio inconsciente muito comum é o do medo de deixar de pertencer à um grupo ou uma classe, ou até mesmo na nossa família. Gay Hendricks explica isso muito bem no seu livro “The Big Leap”. Pode ser que você se sinta mal tendo mais dinheiro que alguém da sua família, medo de fazer eles se sentirem fracassados pelo seu sucesso, ou até mesmo vergonha de desfrutar uma vida boa quando eles estão sofrendo.
  • Dificuldades com merecimento: Se você não se sentir merecedor de ter dinheiro, não importa o quanto você ganhe, você sempre encontrará uma maneira de sumir com esse dinheiro da sua vida, de gastar e gastar e até mesmo fazer dívidas, para não manter o dinheiro perto de você. É preciso que você trabalhe no seu merecimento, na sua capacidade de estar à vontade com o dinheiro e se sentindo em paz com isso. Meu treinamento Vida Rica pode te ajudar a entender melhor essas etapas do dinheiro (ganhar, manter, multiplicar, gastar e etc!).
  • Crenças sobre não saber lidar ou administrar o dinheiro: Esse aqui é um bloqueio bem comum entre as mulheres. Desde muito pequenas somos expostas à imagens de mulheres gastonas, sem a menor habilidade para gerenciar ou quem dirá multiplicar o dinheiro. Ouvimos também que não temos jeito pra isso, que simplesmente “não sou boa com dinheiro”. Saiba que isso são só programas de crenças que podem sim ser investigados e mudados.

Sabendo disso, investigando a causa, vai ficar muito mais fácil para você mudar isso na sua vida e finalmente viver sem dívidas. Eu gosto de usar o Digging, uma ferramenta do Thetahealing para fazer essa investigação. Se você já é Thetahealer e quer aprender a fazer digging em você mesma, eu tenho um treinamento para isso aqui. Não faz ideia do que é o Thetahealing? Você pode conhecer aqui.

Agora, com as dívidas que eu já tenho, o que fazer? Eu tenho algumas dicas que podem te ajudar!

  • Pare de colocar “eliminar as dívidas” como seu único propósito de vida e pra onde vai todo o seu dinheiro. Fazendo isso você só está tampando o Sol com a peneira. Ao invés disso, crie uma reserva de segurança. Peraí, você está me mandando guardar dinheiro a juros baixíssimos enquanto eu tenho uma dívida rolando a juros altos? É exatamente isso. Pois assim estaremos trabalhando na causa! Muito provavelmente você entrou em grande parte dessas dívidas por não ter uma reserva financeira, e ao tentar eliminar essas dívidas sem reserva você está nadando contra a corrente – a qualquer momento pode vir uma onda de imprevistos e te derrubar! Por isso a criação dessa reserva precisa acontecer antes da dívida ser quitada.
  • Negocie! Pegue o seu orgulho ferido e dobre bem dobradinho e coloque no bolso. Ligue ou faça reunião com seu credor e negocie uma maneira sustentável de realizar esse pagamento, incluindo descontos de multas e juros se for possível (na maioria das vezes é).
  • Comece pela dívida que mais te abala emocionalmente, mesmo que ela não tenha os juros mais altos. Mais uma dica bem contraintuitiva que pode te ajudar. Ao começar a pagar pela dívida que mais mexe com você emocionalmente você vai ganhar mais segurança e confiança em si mesma pra dar o próximo passo.
  • Esteja disposta a fazer esse pagamento. Trabalhe nos seus ressentimentos, perdoe-se por esse erro e esteja disposta a ir em frente. Se você não sabe como fazer isso, você pode aprender a trabalhar essas questões em si mesma usando o Thetahealing com a gente!

Essas foram as dicas que eu tinha pra compartilhar com vocês hoje sobre como mudar sua realidade financeira e acabar com as dívidas usando a terapia como sua aliada! Foi útil pra você? Aprendeu algo nesse artigo? Compartilhe e espalhe a mensagem 🙂

Como usar o Thetahealing na minha profissão? Ep. 1 – Advogadas

O curso de Thetahealing é só para quem é terapeuta? Não. O curso de Thetahealing é só pra quem quer ser terapeuta? Também não! O curso de Thetahealing é para todo mundo que deseja autoconhecimento, melhorar sua vida, aprender a se conectar com a fonte, ter uma vida melhor, mais fácil e mais feliz, simples assim!

A parte mais mágica disso tudo é que você pode usar tudo o que aprende no curso para aplicar, além da sua vida pessoal, também na sua profissão!

Nessa série de posts eu vou explorar com vocês as possibilidades de uso do Thetahealing em diversas profissões, começando pelo Direito e pelas Advogadas!

Nesse vídeo eu trago para vocês diversas maneiras que você pode usar o Thetahealing para te ajudar na sua profissão e no seu trabalho como Advogada, assista agora mesmo:

E você que é advogada e thetehealer, me conta nos comentários quais práticas dessas você já faz e quais você usa que eu não citei aqui no vídeo, que vou adorar saber! Agora, você é advogada, mas não faz ideia do que é o Thetahealing? Fica tranquila que você está no lugar certo pra descobrir, explore aqui pelo site e você encontrará muita informação e também os nossos cursos de formação oficial!

Como passar por tempos difíceis?

Como sobreviver essa quarentena? Como ficar bem nessa pandemia? O que fazer para cuidar de mim em tempos difíceis?

Os tempos atuais colocaram a gente em situações que muitos de nós haviam jamais imaginado. Já são quase cinco meses desde que a pandemia do coronavirus (Covid 19) começou e nós precisamos mudar, nos adaptar e o que muitos achavam que seria uma corrida de 100 metros rasos (rápida e intensa), acabou se tornando uma maratona (longa e também intensa) e os cuidados precisam ser diferentes.

Aqui pra mim, mudou muito a maneira como eu faço planos. Sempre gostei de planejamento e em janeiro já costumava ter meu ano profissional todo planejado ou pelo menos estruturado. Nosso planejamento mínimo era sempre trimestral. Esse ano todos os planos a partir de março foram adiados, cancelados, substituídos… E eu acabei encontrando um planejamento de curto prazo que resolveu pra nós por enquanto. Temos uma visão no horizonte, mas planejamos com mais detalhes no curto prazo.

Uma outra mudança brusca por aqui foi a de prioridades! Imagino que por aí também né? Ficou muito mais claro o que é realmente prioridade na minha vida, e isso mudou a maneira de fazer as coisas e o tempo das coisas. O primeiro momento de “retiro” da quarentena, em que não saíamos pra nada, me trouxe organização e metodologias que há muito tempo eu sonhava em ter. O tempo: Esse mudou muito.

Nesses meus parágrafos você já deve ter identificado aí também alguns presentes que essa situação trouxe para sua vida, não é? Nada é de todo mal.

Mas uma coisa eu te digo: O seu autocuidado agora tem um SUPER PODER! Se ele já era importante antes, você imagina agora com tudo isso acontecendo? Um jeito interessante de começar a criar o hábito do autocuidado é se perguntar todos os dias: “O que eu posso fazer por você hoje? Como eu posso te fazer feliz hoje? Como eu posso melhorar seu dia hoje? Como eu posso melhorar sua vida hoje?” – Acredite, esse pequeno gesto tem o poder de fazer uma imensa diferença no seu dia e na sua vida!

Eu tenho no meu site de cursos online também algumas sessões coletivas, que são um jeito bem diferente e gostoso de cuidar de você. Elas são sessões de trabalho energético gravadas, onde nós mudamos crenças e padrões de um determinado tema e você pode assistir/ouvir no conforto da sua casa. Hoje os temas disponíveis são AutoEstima, Medo da Exposição Profissional e Chega de drama! (essa última realizada, inclusive, durante a quarentena). (INSERIR LINKS!)

Se você se encontra nesse momento em uma situação incômoda, sem conseguir ver esses presentes e sem conseguir imaginar como vai sair disso eu tenho aqui um exercício que pode te ajudar muito, e eu chamo ele de “Eu do futuro”.

É um exercício de centramento, de voltar pro seu centro! Vamos lá?

Existe uma versão sua que já passou por isso, que já está do outro lado, que já passou por isso. Você vai então ir lá conversar com essa versão sua!

Se imagine daqui a um mês, três meses, seis meses – Na sua frente, como se vocês estivessem em uma entrevista! E aí você vai fazer perguntas poderosas pra essa sua versão, você pode perguntar:

  • Qual foi a 1 coisa que você fez nesse período que fez mais diferença na sua vida? Que te trouxe o maior impacto positivo?
  • O que mais te fez mal, o que mais te atrapalhou nesse período que eu consigo eliminar ou pelo menos amenizar a partir de agora?
  • O que você adoraria que eu tivesse começado a fazer agora?
  • Onde eu tô colocando energia demais, onde eu tô desperdiçando a minha energia, meu tempo e meu foco que eu já posso deletar da minha vida?
  • Qual é o seu melhor conselho pra eu atravessar esse momento?

Depois desse momento de conexão com você, anote seus insights e coloque-os em prática. Faça esse exercício sempre que quiser, e aproveita e envia esse post para uma amiga que você acha que vai aproveitar esse conteúdo na vida dela.

Até o nosso próximo encontro!

Autosabotagem não existe: Entenda como seu limite superior funciona

Como lidar com a autosabotagem? Como parar de me sabotar? Existe cura pra autosabotagem? E se eu te disser que ela nem existe…?

Ah, o tema da Autosabotagem! Sempre tão presente nesse meio de autodesenvolvimento, de autoajuda e desenvolvimento pessoal. Todo mundo quer saber! Porque eu estou me sabotando? Porque eu quero muito algo mas não consigo realizar? Porque quando estou chegando perto dos meus objetivos eu mesmo me saboto? E esse é o toma do post de hoje.

Primeiro de tudo eu quero deixar claro para vocês que eu não acredito em autosabotagem. É isso mesmo, pra mim, a autosabotagem não existe! Agora, se é nisso que eu acredito, porque eu estou escrevendo um texto sobre esse assunto, você se perguntaria… É porque eu quero te explicar as dinâmicas por trás dessa minha convicção!

Eu não acredito que nosso corpo ou nossa mente trabalhem contra nós. Nunca. Sempre existe uma razão positiva pela qual aquilo que aparentemente é uma sabotagem, um “ferrar comigo mesmo”. Sempre existe uma intenção positiva, e geralmente ela tem como objetivo nos proteger de algo.

Imagine você que uma mulher quer muito ter um relacionamento amoroso daqueles dos livros de romance. Ela é romantica, ela gosta de paixão, ela se identifica com as mulheres que vê nos filmes sobre o amor. Ela quer, ela deseja muito criar isso na vida dela, porém os homens que se apresentam geralmente não são do tipo dela, ou então acabam deixando ela no vácuo, desaparecendo, ou traindo.

Porque essa mulher que tem tanta clareza sobre o que ela quer não está conseguindo criar isso? “Porque a lei da atração não funciona pra mim?”, ela poderia estar pensando!

Aí é que entra essa energia protetora que não deixa isso acontecer, por diversos motivos:

  • Pode ser que ela não acredite ser capaz de existir alguém bom assim pra ela
  • Pode ser que ela não se sinta merecedora de alguém assim, sendo ela tão imperfeita
  • Pode ser que ela tenha sido machucada e magoada em uma relação tão profundamente que ela tem muito medo de se entregar e o pior acontecer de novo
  • Ela pode ter sido abandonada e rejeitada algumas vezes e isso se tornou algo conhecido para ela, muito mais do que ser amada e respeitada
  • E muitas outras variáveis, a maioria delas inconscientes, que podem estar causando esse cenário na vida dela!

Então quer dizer que não estamos sabotando a nós mesmos, mas que na verdade existe um mecanismo inconsciente que trabalha o tempo todo para nos proteger (de medos reais e também de medos irreais) e nos manter na área conhecida (zona de conforto)? Sim, é nisso que eu acredito.

E é também o que diz o autor americano Gay Hendricks em seu livro The Big Leap (algo como “o grande salto” em português). Nesse livro ele cria um termo interessantíssimo chamado “o limite superior”. Esse seria o nosso “teto” na vida, o limite máximo que somos capazes de lidar na vida de realização, felicidade, amor e até mesmo sucesso e dinheiro.

Hendricks nos ensina que esse limite superior é criado fundamentalmente por 4 crenças raízes:

  1. Eu sou fundamentalmente defeituoso (tenho defeitos, nasci assim e morrerei cheio de defeitos)
  2. Quero ser fiel à minha origem e minhas raízes (Seguir o legado da sua família, seus ancestrais)
  3. Mais sucesso trará mais responsabilidade e mais trabalho
  4. Tenho medo de ofuscar os outros

Se você é Thetahealer já pode preparar seu caderninho de Digging para começar a investigação dessas crenças! Se voc6e ainda não é ou nem sabe o que é o Thetahealing, aqui nesse site você encontra todas as informações detalhadas.

Mas como a gente supera esse limite superior? Esse “teto” que a gente mesmo se coloca? Eu vou trazer aqui quatro ensinamentos de Gabrielle Berstein sobre resistência, que eu acho que podem ser muito úteis pra gente sair da autosabotagem:

  • Reconheça e toma consciência desse comportamento na sua vida

Diga a si mesmo: “Olha, acabo de encontrar aqui meu limite superior. Não estou conseguindo ir além dele… Que bom, encontrei!”

  • Entregue-se à guiança espiritual

Gabrielle nos ensina uma linda oração para que a gente saia do nosso próprio caminho e deixe o divino agir através e por nós:

“Hoje eu entrego meus objetivos e planos aos cuidados do Universo. Eu ofereço minhas intenções e aceito orientação espiritual. Acredito que exista um plano muito maior que o meu. Eu sei que onde antes havia falta e limitação, existem soluções espirituais e idéias criativas. Dou um passo atrás e deixo o amor liderar o caminho. Seja feita a tua vontade.”

  • Solte o julgamento

O julgamento nos mantém emaranhados em uma situação, quando soltamos o julgamento isso traz mais liberdade. Comece observando quando está julgando e escolhendo ativamente parar de julgar. Inclusive começando com o julgamento de si mesmo.

  • Escolha ativamente a alegria

No seu livro mais recente, chamado SuperAttactor, essa autora nos convida a sempre que nos sertirmos bem, buscar mais disso. Se permitir ficar naquele sentimento bom, e expandir dentro dele.

Eu chamo isso de alongamento, e pra mim essa é a etapa mais importante para vencer a autosabotagem e o nosso limite superior: Ir alongando as suas capacidades de se sentir bem. Sabe quando a gente vai alongar em uma atividade física? Que suas pernas se esticam até um certo ângulo e depois disso elas simplesmente não vão mais? É isso que acontece com nosso limite superior, e esse é o motivo da nossa autosabotagem. Agora, quando a gente vai um pouquinho além em cada uma das aulas de ginástica no nosso limite de alongamento, depois de algumas semanas nosssas pernas se esticam em um ângulo muito maior, nós ganhamos alongamento!

Então, finalizo esse meu texto com um convite? Vamos alongar os nossos limites superiores? Todas as vezes que você se sentir chegando perto de um dos seus limites, inicie o processo de alongamento: permita-se sentir um pouquinho melhor, permita-se ficar mais um pouquinho nesse estado bom, e veja a mágica acontecendo!

Aqui nessa aula ao vivo eu ensinei isso na prática com vários exemplos de como fazer o nosso próprio alongamento:

Um abraço e até o nosso próximo encontro!

Crenças femininas

Dia desses eu assisti um “stories” (aqueles vídeos curtinhos do Instagram) em que uma mulher, que infelizmente não sei quem é, estava dizendo que é muito errado dizer para a mulher que ela “perde”sua virgindade, e isso fez muito sentido para mim. As crenças bloqueadoras já começam quando precisamos “perder”algo para iniciar nossa vida sexual. O que estamos perdendo, afinal? Nada. Só estamos ganhando. Uma mulher quando se inicia na vida sexual, na sua sexualidade feminina, está ganhando muito: Ganha conhecimento sobre o próprio corpo, ganha prazer, ganha maturidade, ganha conhecimento sobre os mistérios da sensualidade, ganha conhecimento do corpo do homem, ganha curiosidade, ganha aventura, ganha acesso à muitos poderes, inclusive de manifestação.
Continue reading

Eu me dou o direito de ser exatamente como sou

Você já parou para pensar que a mesma energia que criou você, criou todo o universo? Que você é parte de tudo que existe? Que essa energia, que você pode chamar de Deus, de Universo, de Vida, de grande mãe ou qualquer outro nome que faça sentido para você, também criou a natureza, as estrelas e galáxias, as leis do universo e tudo mais?
Continue reading

Aproveite a jornada enquanto você aprende

Esse texto é para você que está trilhando o caminho do autoconhecimento, e provavelmente começou há não muito tempo. Se você é do tipo agitado e ansioso, já deve estar esperando o momento da iluminação, certo? Aquele momento onde tudo vai fazer sentido e seus problemas irão desaparecer! Acontece que, enquanto você está fantasiando esse momento, você está perdendo a maior parte da diversão, que é o caminho.

Continue reading