Dia desses eu assisti um “stories” (aqueles vídeos curtinhos do Instagram) em que uma mulher, que infelizmente não sei quem é, estava dizendo que é muito errado dizer para a mulher que ela “perde”sua virgindade, e isso fez muito sentido para mim. As crenças bloqueadoras já começam quando precisamos “perder”algo para iniciar nossa vida sexual. O que estamos perdendo, afinal? Nada. Só estamos ganhando. Uma mulher quando se inicia na vida sexual, na sua sexualidade feminina, está ganhando muito: Ganha conhecimento sobre o próprio corpo, ganha prazer, ganha maturidade, ganha conhecimento sobre os mistérios da sensualidade, ganha conhecimento do corpo do homem, ganha curiosidade, ganha aventura, ganha acesso à muitos poderes, inclusive de manifestação.

Da mesma maneira que sentem pena da menina que menstrua! Isso é uma crença de apego ao passado! Porquê ter pena de uma menina que está se tornando mulher? Uma mulher fértil e saudável! Quando a menina tem sua primeira menstruação é comum receber frases (que, na verdade, são crenças limitantes) do tipo: “Agora é só cólica, não vai mais poder ir à praia quando quiser, nem usar a piscina, deve esconder o fato de estar menstruada de todo mundo para que não sintam nojo de você, ninguém pode ver seus absorventes na bolsa, agora é só tpm…”E por aí vai! Ainda dizem que está perdendo a inocência, que acabaram as brincadeiras e diversão, que ela deve temer os homens pois já pode engravidar e que vai ter pêlos que precisam ser retirados o mais rápido possível para ninguém ver. Ou seja: Só crenças negativas! Muito difícil alguém parabenizar a menina e lhe contar todas as coisas maravilhosas que a esperam nessa nova fase da vida. Poucas pessoas ensinam a lidar com os desconfortos que podem aparecer durante o ciclo menstrual e porquê eles acontecem. Já dão logo uma caixa de absorvente descartável, uma cartela de anticoncepcional e outra de buscopan sem ao menos ouvir o que a adolescente está sentindo naquele momento, sem explicar para ela todas as outras opções que existem!

Então a minha sugestão agora é: Vamos contar uma história diferente para nós mesmas e para as meninas das próximas gerações? Vamos parar de usar o termo “perder” quando se trata de algo tão divino quanto a nossa sexualidade? Vamos trazer conhecimento e poder para as meninas que estão iniciando agora suas vidas enquanto mulheres? Vamos dar para elas todo o apoio e informação que nós gostaríamos de ter recebido? É assim que a nova era começa!

Se você se identificou com muitas dessas crenças que eu citei aqui, nós podemos mudar isso com o Thetahealing, como eu fiz. É possível liberar traumas e memórias celulares de sofrimento e ressignificar essas crenças e padrões para uma vida mais consciente e plena. Para saber mais sobre atendimentos é só clicar aqui em “O que faço” e depois em “Consulta Individual”.