Quando um nova hábito finalmente entra no piloto automático, a gente realmente se esquece dele, e eu experimentei isso exatamente essa sexta-feira.

Como você deve se lembrar, estamos em um desafio de posts todos os dias aqui no blog #AgostoTodoDia, e aí simplesmente hoje de madrugada eu percebi: Meu Deus, eu não fiz post nenhum sexta e nem hoje (sábado)! Misericórdia! Mas agora eu vou te contar o porquê isso é uma vitória:

Desde que comecei a empreender, há mais de 10 anos, eu nunca mais soube o que era ter um final de semana. Trabalhava de segunda a sábado e depois de segunda a domingo, sempre. Esse era o meu normal, o meu modelo, simplesmente trabalhar o tempo todo, e de vez em quando tirar um dia de folga. Isso acontecia principalmente por dar a maioria dos cursos de Thetahealing no final de semana.

Aí veio a pandemia. Eu estava no Chile na segunda semana de março e cheguei no Brasil 2 dias antes de ser decretado o primeiro lockdown. Naquela semana do dia 13/03/20 eu tinha um curso agendado presencialmente. Não dei muita bola quando disseram que iriamos ter que cancelar… No final das contas: Cancelamos, claro.

Foram então quase dois meses até que a Vianna, criadora da técnica, nos autorizasse a dar os cursos de maneira on-line, mas aí já era tarde demais…

Durante esses dois meses eu tinha desacelerado, descansado, cuidado mais de mim, da minha casa e era oficial: Eu tinha sentido o gostinho do final de semana!

E você sabe bem, que acostumar com coisa boa é fácil demais! Em dois meses eu estava adaptadíssima! Mas como workaholic assumida eu não queria dar o braço a torcer. OS cursos foram autorizados, voltei ao meu ritmo de final de semana (Mas ainda menos do que sem lockdown, claro, pois não precisava viajar, arrumar o espaço, etc.

Em março desse ano, tomei a decisão que há bastante tempo vinha adiando: Parei de dar os cursos oficiais de Thetahealing para focar 100% nos meus cursos autorais. E enfim, recebi como “brinde”, mais dias de descanso e o final de semana de volta.

Gostei muito, mas estava com vergonha de admitir e perder meu posto de trabalhadora do mês. Um dia, minha mãe (que trabalha comigo) disse: “Nossa, eu nem lembrava mais como era ter final de semana! Estou gostando tanto!”. Eu não resisti, e concordei: “Nossa eu também!”.

E desde então venho cultivando meus finais de semana e tem ficado cada vez mais fácil me desconectar do trabalho. Desconectei TANTO que sexta e sábado esqueci de pegar o notebook e escrever.

Finalmente depois de um quase burnout (ou talvez um burnout real) eu posso comemorar meus hábitos de descanso se tornando automáticos.

Por isso, o post de sexta é esse, sendo escrito e postado agora, e o de sábado e domingo vem na sequência. não vou deixar a peteca cair e entregar um post só, de jeito nenhum! O desafio são 31 posts, e 31 posts teremos 🙂

Vamos fingir que é até amanhã, mas é até já já, ta?


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.