Às vezes eu vejo tudo o que eu faço e acho muito. Acho impossível que alguém consiga fazer tudo isso. Mas às vezes olho e acho muito pouco. De qualquer maneira, confio que o que está sendo feito é o que precisava estar sendo feito. E que nossos ciclos ajudam. E o que Einstein tem a ver com isso?

Calma! Uma coisa de cada vez:

1. Os ciclos: Nós somos seres cíclicos. Eu não gosto de ficar buscando muita explicação com isso, é bem mais fácil sentir. Sabe aquele dia que você sente que pode conquistar o mundo? E aquele dia que você só quer ficar embaixo das cobertas? Pois bem, isso é ciclo!

E se você souber aproveitar bem os seus ciclos, vai saber fazer quando está na hora de fazer e descansar quando está na hora de descansar… E claro: Mandar se lascar quando for a hora de mandar se lascar! Por isso, minha melhor dica para você é a historinha da cigarra e da formiga:

Cuide de fazer o seu (colher alimento enquanto está sol, ou seja, aproveitar as condições para realizar, organizar, deixar preparado, cuidar do seu Eu do futuro) que quando chegar o momento o “seu” vai cuidar de você (a hora que o inverso chega e a formiga tem seu estoque de comida, ou quando você tem um dia cansativo e pode contar com sua comidinha congelada, por exemplo, ou quando tem um pré-menstrual muito delicado e pode se dar o primeiro ou alguns dias do seu ciclo de folga).

Algo muito importante da gente citar aqui nos ciclos é também a sua capacidade de ser generosa com você, ao mesmo tempo da capacidade de cuidar do seu eu presente e seu eu futuro. Além de um alinhamento interior refinado para perceber como você está e aproveitar bem os dias repletos de energia para criar e muita flexibilidade que facilita a constância.

2. E o que isso tudo tem a ver com o tempo de Einstein?
O tempo de Newton é fixo né? O tempo de Einsten é relativo.

Ele dizia que 3 minutos passam bem diferentes quando você está beijando alguém que você ama do que quando você está sentado em cima de um fogão aceso. BEM diferentes, né?

Pois se o tempo pode ser manipulado dessa maneira, que nós então aprendamos a manipulá-lo ao nosso favor!

Então eu uso como se fosse um mantra: Tudo que eu precisar fazer hoje, de alguma maneira será feito. Não vou me estressar.

Tenho olhado cada vez menos no relógio, uso despertadores no celular para me avisar alguns minutos antes de compromissos com hora marcada e é isso. Nem para acordar tenho usado (exceto em dias de compromissos mais cedo, quando eu sei que preciso acordar antes do que eu normalmente acordaria sozinha).

Isso me tirou da escravidão do tempo e me permitiu fazer muito mais do que eu achava que seria possível (para mim, algo que acontece quando você deixa o universo te ajudar!) com muito menos esforço, deixando que a natureza me ajude ao invés de culpá-la por me atrapalhar. Fazer menos e com mais intenção.

Aliás, aqui vai, para finalizar, o ingrediente extra dessa receita de sucesso: Saber o que é realmente importante e o que não tem necessidade, limpar da sua vida todas as “ervas daninhas” para deixar o que é importante de verdade florescer, descansar de verdade, me cuidar e cuidar do meu trabalho de verdade.

Tem sido uma linda jornada e eu espero muito em breve poder compartilhar meus resultados com vocês (em um livro!)

Até amanhã!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.